1 de jun de 2011

O Amor


Você sabe o que é amar?
Sentimento mágico, espontâneo…
Que te surpreende no momento que você menos espera.
Amar é cuidar, viver por duas eternidades.
Para que JAMAIS a pessoas dos seus sonhos pense em ir embora.
É correr atrás de objetivos os quais o seu coração aprova.
É embalar-se no desejo de se entregar de corpo e alma
Buscar seu amor a onde quer que for.
O amor é um sentimento perfeito, não foi feito para viver só.
Por isso respeite o momento certo,
e aproveite a chance que a vida lhe dá para amar e ser amado.
Dance quando a música começar a tocar.
Aproveite o dia!
Viva cada dia como se fosse o último de sua existência para que amanhã você não venha a se arrepender por não ter tido tempo de amar.
Seja confiante, o amor é um presente supremo para que os nobres de coração possam alimentá-lo cada dia mais e mais.
Se você se sente só, não se desespere, apenas observe mais ao seu redor,
se o seu amor já não estiver ao teu lado, ele está a caminho.
O amor é um sentimento inteiro quem ama se completa.
Quem ama sabe que a vida não é feita de um só coração.
Quem ama sabe que a melhor parte do amor é no momento em que os olhos se encontram e de tudo já se sabe mesmo antes dos lábios se mexerem.
Acredite no Amor… Ele existe!
Beije o Amor, pois o seu sabor é insubstituível.
Cada momento é único e certas coisas
podem jamais se repetir.
Acredite no amor, pois o amor já te conhece bem antes de você nascer.

2 comentários:

(Marcos Ernani)

"Deveríamos ser sensíveis como as crianças,
que sentem alegria nas pequenas coisas..."


Adeus,


que é tempo de marear!



Por que procuram pelos olhos meus

rastros de choro,

direções de olhar?



Quem fala em praias de cristal e de ouro,

abrindo estrelas nos aléns do mar?

Quem pensa num desembarcadouro?

- É hora, apenas, de marear.



Quem chama o sol? Mas quem procura o vento?

e âncora? e bússola? e rumo e lugar?

Quem levanta do esquecimento

esses fantasmas de perguntar?



Lenço de adeuses já perdi...Por onde?

- na terra, andando, e só de tanto andar...

Não faz mal. Que ninguém responde

a um lenço movido no ar...



Perdi meu lenço e meu passaporte

- senhas inúteis de ir e chegar.

Quem lembra a fala da ausência

num mundo sem correspondência?



Viajante da sorte na barca da sorte,

sem vida nem morte...



Adeus,

que é tempo de marear!



CECÍLIA MEIRELES