15 de dez de 2011



SEI...
que em algum lugar do passado...
juntos estivemos.
Que até agora nos temos aguardado,
cada qual com sua vida
e com outras realidades de experiências vividas.
Mas nada acontece por acaso...
Talvez tudo isso fosse para que,
quando de novo nos encontrássemos,
estivéssemos entendendo mais da realidade da vida...
E com nossa capacidade de amar redobrada pela maturidade.
E assim podermos nos unir ainda mais...
como duas alma gêmeas que somos.
Nos unir e exemplificar no nosso amor.
Que o destino da humanidade
é atingir a perfeição...
e que tal só acontece
através da vivência do amor.
Amor que temos de começar a aprender
e cultivar amando
aqueles que mais próximos estão de nós...
Mesclados em nossas próprias vidas
no nosso dia a dia...
Entendendo, compreendendo,
aprendendo, ensinando e perdoando.
Essa é a vontade divina
transformando-se em realidade.
À medida que o ser humano vai ficando
apto a compreender a dádiva da vida...
Nós nos amamos sempre...
Só estivemos separados por anos,
que representam
uns poucos segundos
no contexto da eternidade.
Por isso...
em algum lugar do passado
já nos enamoramos e agora,
nos reconhecendo aqui estamos...
Intuindo que nosso amor
não é desta vida apenas...
é imenso e completo.
E a certeza desse amor é tão grande
que nos encontramos mais uma vez,
voltando a ficar juntos...
O nosso interior diz isso.
Mas também sabemos desde agora que,
mais uma vez... em algum lugar do futuro
novamente voltaremos a estar juntos
e cada vez com mais amor no coração.
Somos afinizados espiritualmente
e isso faz com que nossos caminhos
cruzem-se de maneira inevitável
e infinitamente,
pois assim o queremos.
Por isso em nome de nós dois...
em nome do nosso amor...
agradeço ao Alto a graça da sua vida,
da minha vida...
Agradeço enfim...
a graça do nosso eterno amor...
Em algum lugar do passado
nos amamos lembra?
É simples.
Observe a intensidade desse amor no presente...
e atente para sua intuição...
Feche os olhos e viva um pouco
do futuro do nosso amor...
Ouça essa música...
lembre-se de mim...
lembre-se de nós...
procure ter força...
Chore se precisar,
pois, eu também choro de amor,
de muito amor por você...
E por não poder tê-lo ao meu lado hoje, agora...
Mas, com absoluta certeza que isso
começa a acontecer mais uma vez...
e acontecerá outra...
e outra...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(Marcos Ernani)

"Deveríamos ser sensíveis como as crianças,
que sentem alegria nas pequenas coisas..."


Adeus,


que é tempo de marear!



Por que procuram pelos olhos meus

rastros de choro,

direções de olhar?



Quem fala em praias de cristal e de ouro,

abrindo estrelas nos aléns do mar?

Quem pensa num desembarcadouro?

- É hora, apenas, de marear.



Quem chama o sol? Mas quem procura o vento?

e âncora? e bússola? e rumo e lugar?

Quem levanta do esquecimento

esses fantasmas de perguntar?



Lenço de adeuses já perdi...Por onde?

- na terra, andando, e só de tanto andar...

Não faz mal. Que ninguém responde

a um lenço movido no ar...



Perdi meu lenço e meu passaporte

- senhas inúteis de ir e chegar.

Quem lembra a fala da ausência

num mundo sem correspondência?



Viajante da sorte na barca da sorte,

sem vida nem morte...



Adeus,

que é tempo de marear!



CECÍLIA MEIRELES